Desvarios

LIBERTE-SE DA AUTOSSABOTAGEM!


Todo mundo tem uma amiga que, por maior que seja seu sofrimento, prefere alimentar um relacionamento abusivo a ficar solteira. Assim como tem um conhecido que sempre escolhe o mesmo tipo de namorada e, no final, acaba se machucando. Isso não é coincidência, muito menos “dedo podre”. Quem nunca se sentiu limitada pela sua própria mente que atire a primeira pedra. Chega a ser assustadora a quantidade de oportunidades e sonhos que desperdiçamos todos os dias por medo, insegurança, receio ou que for. Mesmo sabendo que estamos prontas, uma sensação gigantesca de incapacidade nos invade e, inexplicavelmente, nos paralisa. Se essa sensação lhe é familiar você sabe do que estou falando: auto sabotagem. Em outras palavras, nada mais é do que uma forte tendência a repetir comportamentos destrutivos.

Todos os dias realizamos diversas tarefas repetitivas: escovamos os dentes, trocamos de roupa, tomamos banho, etc. Essas tarefas são tão cotidianas que você as pratica de forma automática, muitas vezes sem ao menos perceber. Mas repetir tarefas nem sempre é algo negativo, o problema começa quando você resolve sabotar toda e qualquer ação que possa lhe tirar da sua zona de conforto e que, com isso, lhe obrigue a mudar.
Na maioria dos casos, a auto sabotagem está intimamente ligada à baixa auto-estima, fazendo com que a pessoa afetada pense que não merece evoluir e ou tornar-se alguém melhor.
Não há uma causa universal, cada pessoa possui experiências específicas que acabam resultando nesta triste condição psicológica. O problema pode ter começado na infância, por exemplo, ao assistir e absorver determinados comportamentos dos pais, como pode, também, ter surgido após vivenciar alguma situação de risco ou trauma. Mas evitar tais repetições é tão importante quanto saber o motivo. Caso contrário, o ciclo continuará e fará com que a pessoa sinta-se cada vez mais limitada.

O primeiro passo é reconhecer que as situações que você viveu e, por consequência, os sentimentos negativos que você sentiu, não correspondem ao seu valor ou merecimento enquanto pessoa. Erros não precisam ser fardos, livre-se deles. Caso você tenha sido responsável por alguma dessas situações e, por isso, sente-se culpada, perdoe-se, aprenda e siga em frente. Alimentar o sofrimento não permitirá que os fatos mudem.
Se possível, procure um profissional e faça terapia. Encontrar e entender a razão que te leva a sentir-se assim já é um grande e significativo avanço.
Observe suas atitudes, grandes ou pequenas, principalmente as que você toma no modo automático. No fundo, se analisarmos com paciência e atenção, conseguimos enxergar quando estamos sendo auto destrutivos. E isso inclui parar de comer bolo de chocolate quando já está se sentindo cheia.

Entenda que não existe nenhum fato no mundo que seja tão decisivo a ponto de definir seu destino. A negatividade não faz parte de você. Liberte-se, enfrente o medo, vomite todas as suas mágoas e seja quem você quer ser. Prepare-se para viver uma vida extraordinária, ciente de que fracassar não significa falhar ou sofrer. Fracassar é desistir de tentar.

Beijos. 
Empodere-se.

  • Comentários Facebook
  • 0 Comentários Blogger
COPYRIGHT © 2016 · Desvairadas · design BY egos